Salvar a Petrobras da falência ainda é possível

1
265
Novo presidente assume com missão de salvar Petrobras de dívida 3 vezes maior que o valor da empresa
Novo presidente assume com missão de salvar Petrobras de dívida 3 vezes maior que o valor da empresa

A Petrobras sempre foi tratada como a joia da coroa do tesouro brasileiro, mas hoje não vale mais nada. A empresa, que já chegou a ser – no início de 2015 – a maior empresa petrolífera do mundo, hoje trabalha para se salvar e não fechar as portas. Foi com essa missão que Michel Temer nomeou, como novo presidente da Petrobras, Pedro Parente, ex mandachuva da unidade local da gigantesca Bunge e atual presidente do conselho da BM&FBovespa (nossa bolsa de valores), ex-ministro da Casa Civil e do Planejamento nos dois governos de Fernando Henrique Cardoso. Menos de um mês após a chegada de Pedro Parente ao cargo, os petroleiros já fizeram uma greve para reclamar.

Se você é um leitor do Econoleigo ou acompanha o noticiário, deve saber que a Petrobras está quebrada, assim como outras estatais brasileiras (leia: Dilma destruiu as estatais antes de sair do poder). A situação da empresa é tão difícil que, em janeiro, as ações da Petrobras derreteram, e uma ação da empresa, que com o presidente Lula chegou a custar R$ 47 reais, despencou para meros R$ 4,95. Hoje uma ação da empresa está sendo vendida a R$ 9,26, menos que um quilo de feijão do tipo carioca no mercado.

Graças aos anos de péssima administração da Companhia e aos bilhões que foram desviados durante o governo Dilma Rousseff, a dívida da Petrobras chegou a absurdos US$ 126 bilhões, o que equivale a R$ 428 bilhões no câmbio de hoje. Em maio o valor da Petrobras era de R$ 156 bilhões, e hoje é de apenas R$ 146 bilhões. Ou seja, se a empresa fosse 100% vendida para alguém, ainda assim o dinheiro pagaria apenas 30% da dívida. Em janeiro deste ano o valor da empresa chegou R$ 83 bilhões. Vale lembrar que o governo é dono de cerca de somente 50% da Petrobras.

Pois bem, depois de assumir a inglória missão de salvar  a Petrobras, o Pedro Parente decretou uma série de mudanças na empresa. Foram demitidos milhares de funcionários terceirizados, obras foram paralisadas, a grande maioria sob suspeita de corrupção e superfaturamento, e investimentos foram congelados. A seriedade do executivo e as medidas tomadas por ele dentro da empresa deram resultado. Um dia antes da posse de Pedro Parente, uma ação da empresa custava R$ 8,18. Hoje, ela está sendo vendida a R$ 9,26.

Missão Impossível 6: Salvar a Petrobras da falência

Recuperar a Petrobras não vai ser um trabalho fácil. Os ativos totais da empresa, que são as ações, empresas que pertencem a ela, refinarias, navios e derivados, chegam hoje a R$ 859 bilhões. O ativo circulante, que são as ações, está em R$ 146 bilhões. A dívida da empresa é de R$ 428 bilhões. Um dos planos de Parente para ressuscitar a empresa é diminuir a dívida, que hoje é de 3 vezes o tamanho dos ativos líquidos, para 2,5 vezes. No futuro, a meta é abaixar esse número para ficar entre 1 e 2 vezes o valor dos ativos líquidos.

Em meio a essas demissões, paralisações de obras e investimentos e o anúncio de venda de ativos, como uma parte da BR Distribuidora, que distribui combustível para os postos do Brasil, e um gasoduto, tudo feito para salvar a Petrobras da falência, o sindicato dos petroleiros decretou a paralisação. O “argumento” é o mesmo de sempre: a vontade de entregar a Petrobras aos “gringos”.

Em 1995, quando FHC assumiu a presidência, houve greve dos petroleiros, durante 32 dias, por suspeitas de que o governo “venderia” a Petrobras. Ameaçaram inclusive explodir a refinaria de Cubatão. A greve só parou porque a própria população na época entendia que os petroleiros eram malucos e que o governo estava trabalhando sério. À época, aliás, o próprio PT abordou o presidente FHC para que o governo desse uma saída aos petroleiros , para que terminassem a greve sem que ficassem “feios na foto”.

Em 2016 a mesma greve acontece. É sinal de que o novo presidente da estatal está trabalhando duro e no caminho certo para salvar a Petrobras. Ao ouvir o choro dos petroleiros sobre a venda de uma parte da Petrobras, fica o questionamento do Econoleigo: Será que eles não sabem que ser dono de 100% de algo que não vale nada é pior do que ser dono de 90% de algo que vale alguma coisa?

Resumindo: A Petrobras estava na UTI e a família já preparava o velório e um novo médico conseguiu fazer o corpo moribundo reagir, mas apareceu aquele familiar maluco que não gosta de remédio pois “medicamento faz mal para a saúde”, e é assim que você deve reagir sempre que alguém defender a tal greve na empresa:

Como reagir quando alguém critica medidas para salvar a Petrobras

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here