Porque eu me cerco somente de coisas boas

3
91
Porque se cercar do bem é bom para a saúde
Porque se cercar do bem é bom para a saúde

Minha vida mudou em 2015. Na verdade, minha vida nunca permaneceu a mesma durante muito tempo, estou sempre mudando, tanto psicologicamente quanto geograficamente. Mesmo assim, foi um ano especial: foi quando minha esposa e eu engravidamos, e também o ano em que nosso filho nasceu. Foi também quando decidi mudar minha vida ainda mais.

Sempre acreditei no carma e na lei do retorno. Em todas as minhas ações me esforcei para fazer o bem, sempre na expectativa que fizessem o mesmo por mim. Não prejudicar para não ser prejudicado. Mesmo assim, percebi que isso não era o bastante. Ao me tornar pai fazer o bem por si só já não bastava, pois o carma positivo seria meu. Eu precisava fazer algo mais. Precisava quebrar o ciclo da negatividade, expandir a positividade.

Vamos voltar um pouco.

Por trabalhar com política, acompanhei de perto a reeleição da Dilma e também seu processo de impeachment. A disputa da eleição nunca me incomodou, mas o último prélio eleitoral e o que aconteceu depois me esgotou. A briga entre esquerda e direita dividiu não só o país, mas também as redes sociais. Junto delas, foram partidas amizades, famílias e reputações. Infelizmente na guerra de paixões a primeira vítima é sempre a decência. Acusações e ofensas sobraram na internet, e isso me derrubou.

O Rodrigo de antes adorava discutir e debater. Compartilhar notícia negativa sobre um político ou marca que não gosto? Claro. Percebi que isso fazia de mim um hipócrita. Como fazer sempre o bem e defender e propagar o carma, e mesmo assim compartilhar algo ruim ou que pode machucar alguém, mesmo que tal pessoa mereça? Foi ai que tomei uma decisão. Eu só me cercaria de coisas e de pessoas boas, que fazem o bem e que me fazem ficar bem. Cara, essa foi a melhor decisão da minha vida.

Vídeo denúncia de alguém maltratando um animal? Não assisto. Vídeo de uma criança agredindo ou xingado uma professora? Eu passo. Vídeo de um cachorrinho ou um gatinho fazendo qualquer besteira? Assisto, curto e compartilho.  Pode ser uma atitude egoísta, eu sei, mas ao me afastar das coisas negativas descobri um universo totalmente novo. Existe vida inteligente nas redes. Existe compaixão, curiosidade, humor e, acima de tudo, existe solidariedade.

Estamos tão focados na discussão, no enfrentamento e na imposição de ideias (como assim, alguém está certo e eu não?), que acabamos não percebendo que o oceano é enorme e maravilhoso. O ódio pode parecer enorme, mas tenha fé: a podridão das redes é só uma ilha de coisas ruins num oceano de bondade. Ignore diferenças. Aceite opiniões. Discuta menos e ria mais. É o que eu passei a fazer e, coincidência ou não, tem mais de dois anos que não fico doente. Gripe? Resfriado? Não sei o que é isso.

A quantidade de ódio e brigas que vi me fez perceber que não basta fazer o bem, devo também me cercar dele. Quando minha esposa e eu nos tornamos pai e mãe (por que sim, os papéis frequentemente se invertem), passamos a ser também construtores e investidores no futuro deste mundo. Podemos não ter o poder para acabar com a miséria, guerras e corrupção, mas certamente podemos garantir que não exista raiva ou discórdia dentro dos nossos lares e, ao deixar de compartilhar aquela bobagem, tiramos o ódio da tela, do coração e do lar dos outros.

As coisas ruins têm a importância e a atenção que damos a ela, e não existe escudo e muralha mais resistente do que a bondade e o amor. E isso é maravilhoso. Ria mais. Discuta menos. Já dizia sua avó: gentileza gera gentileza.

mm

O Econoleigo é um site sem “economês”, para aqueles que não conhecem essa língua. É por mim, Rodrigo Teixeira, alguém até então pouco interessado em números, mas agora fascinado em transformar economia em algo que até eu mesmo consiga compreender.

3 COMENTÁRIOS

  1. Excelente tenho, é o que procuro fazer no meu FB e no meu blog, no Twitter sempre falo um pouco de tudo, mas não entro em discussões, o mundo de hj está tão louco que precisamos mesmo nos cercar de coisas e pessoas boas para nos mantermos em pé, gostei muito do texto vou compartilhar

  2. Muito oportuno o tema! Concordo e discordo dessa opinião, por quê? Para evitar ser alheio às diversas situações na construção da sociedade, entretanto, há maneiras de agir sem emitir fluidos negativos!… em outras palavras, comentar sem que se coloque nele, sentimentos destrutivos: ódio, indiferenças, vinganças, invejas,… e sim, sentimentos construtivos de correção, de alertas, de sugestões!…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here