A carta de Michel Temer para Papai Noel

0
18
Leia a carta de Michel Temer para o Papai Noel e seu conteúdo secreto
Leia a carta de Michel Temer para o Papai Noel e seu conteúdo secreto

Graças às fontes muito bem colocadas do Econoleigo em Brasília, obtivemos em primeira mão o conteúdo da carta de Michel Temer para Papai Noel. Recheada de pensamentos sinceros e expressões em latim, a cartinha é um documento interessante aos que desejam saber o que se passa na cabeça e no coração de quem manda neste país.

“Estimado Papai Noel,

Escrevo-lhe esta epístola de próprio punho do escaninho da excelentíssima inominável. Não sei por onde começar. De minha última missiva, já distam quase sete anos. O que pedi foi-me dado. Fatigado do ar conspurcado de São Paulo, fui simples em minha vontade. A secura do Cerrado faria bem ao sinus e à pele de Marcela. Pedi, recebi e por isto sou grato. Ciente do longo intervalo entre nossas conversas, porém certo de vossa compreensão acerca da escassez de horas ante a enormidade de afazeres, escrevo à pena meus desejos mais profundos e sinceros.

  1. Nossa economia claudica. Corto o que posso, mas não toco aonde não me atrevo. Sinto-me um coelho encurralado entre a raposa e a cobra. Se não faço cortes e ajustes, devoram-me a crise e a população. Se tolho benefícios e fontes de renda, engole-me a cobra. Peço às excelências paciência. De nihilo nihilum. Que entendam que uma vaca morta não produz leite.
  2. Dura lex sed lex, eu sei. A tal Lava-Jato faz a limpeza nunca antes feita neste país, e muitos são alvo de sua mira. As gravações perturbam, mas os burburinhos e o diz que me diz muito mais. Sei que muitos que me acompanham neste desafio hão de cair. As necessidades de um presidencialismo de coalizão obrigam-me a compor um governo, com o perdão pela corruptela do vocábulo, “multiético”. Cerco-me de técnicos, amigos, inimigos e convenientes. Sejam probos ou não. As denúncias são graves,e muitos que vejo hoje cá, não estarão amanhã. Cumpra-se a lei, mas peço-lhe de coração em mãos: Neque nullis sis amicus, neque multis. Que caiam todos, mas ele não.
  3. Fiel em sua vontade e grato pelos seus feitos, orientei Mantega a também escrever-lhe algumas linhas. A crise é severa e nossos maus hábitos estão sendo castigados. Rogo-lhe uma saída deste inferno dantesco. A inflação deve ceder, o emprego e consumo subirem. Mostre aos investidores que o Brasil ainda tem jeito. O brasileiro não merece passar por esta provação. Que lembrem-se de que um povo de barriga cheia é um povo de memória vazia.
  4. Rogo-lhe também que o nosso parlamento, nos dois lados, os que vão comigo, e principalmente os que remam na outra direção, lembrem-se que este é um barco grande, mas que o casco é um só. A tempestade é severa e o rochedo impiedoso. Que tenham em mente que, caso esta nau vá a pique, é o governo que tem os coletes salva-vidas.
  5. Por fim, peço-lhe por Marcela, meu eterno amor, e por Michel, o menino dos meus olhos, as razões de minhas ações. Que ele tenha boas notas, que os desejos em sua cartinha se realizem e sobre ela, que continue bela e serena. O brasileiro já teve sua cota de Medusas, que possam desfrutar agora de uma Afrodite, formosa e honrosa.

Certo de vosso apreço e atenção,

Michel Miguel Elias Temer Lulia

Brasília, 16 de dezembro de 2016″

Observação: Esta cartinha é uma obra de ficção. Ok? 🙂

mm

O Econoleigo é um site sem “economês”, para aqueles que não conhecem essa língua. É por mim, Rodrigo Teixeira, alguém até então pouco interessado em números, mas agora fascinado em transformar economia em algo que até eu mesmo consiga compreender.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here